(0)

Verão pede maiôs e biquínis. Mas você sabe a história deles?

Conheça a evolução dos trajes de banho ao longo do tempo.

Como quase tudo na moda, a história dos trajes de banho segue a linha do tempo da civilização, mesmo considerando que conceitos como “estilo” e “moda” não fizessem tanto sentido à época. Por exemplo, na Era Clássica os romanos costumavam nadar nus ou apenas com suas roupas de baixo. A tradição durou vários séculos, e as primeiras mudanças vieram na Idade Média, quando os cristãos deixaram de nadar ou se banhar ao ar livre. Nesse período houve uma fase de estagnação e os trajes de banho ficaram esquecidos.

Ilustração mostra mulheres em trajes de banho de 1857 – Bitlanders (reprodução).

Foi somente no século XVII que as peças voltaram a aparecer, em geral adaptadas das vestimentas usadas em saunas para mulheres, que consistiam em um vestido amarelo com mangas bufantes.

No século XVIII surgiram os trajes femininos compostos por bermudas, jaquetas e chapéus, nos quais se afixavam lenços para enxugar o suor do rosto. Em geral, a cor da moda era o marrom. Já no século XIX houve o primeiro ensaio de moda para os trajes de banho. Homens usavam bermudas e longas camisetas, sempre em combinação. Já as mulheres usavam um tipo de protomaiô, que ia dos ombros aos joelhos, com mangas compridas. Apenas no final desse século as mangas desapareceram.

Mas foi realmente nos séculos XX e XXI que a moda dos trajes de banho evoluiu... e muito. Confira com a gente uma pequena cronologia:

Maiô típico dos anos 1910 – Wikipedia.

Anos 1910: Basicamente, o mesmo estilo do século anterior, mas o uso de diferentes chapéus e saias ao estilo feminino.

Anos 1920: A década viu uma importante mudança na moda praia ou piscina. Sem dar muita importância para entrar na água, o mais importante era aproveitar o sol. Foi o início dos trajes de duas peças.

A atriz Jane Wyman em uma praia da Califórnia em 1935 – Wikipedia.

Anos 1930: Foi o momento em que as peças começaram a ficar mais ajustadas ao corpo e começava a participação de grandes estilistas na criação, como Coco Chanel. A marca Speedo também ganhava popularidade.

A atriz Ava Gardner em praia de Miami, em 1948 – Wikipedia.

Anos 1940: Por conta da Segunda Guerra Mundial, os governos cortaram a quantidade de tecidos que poderiam ser usados nas peças de roupas. Obviamente, isso impactou os trajes de banho. Foi também a época do maiô Moonlight Buoy, considerado provocante, que unia a parte superior à inferior por uma fivela, o que permitia que o top fosse preso à parte inferior, deixando toda a lateral do corpo ao natural. Estrelas de Hollywood, como Ava Gardner, Rita Hayworth e Lana Turner, abusaram do modelo. Foi aí que surgiu o biquíni, batizado com este nome em referência ao atol de Biquíni, onde eram realizados testes nucleares. A ideia era que a peça teria um efeito explosivo... De fato!

Marilyn Monroe com biquíni típico da década de 1950 – Wikipedia.

Anos 1950: Dior dominava o estilo com uma releitura dos modelos da década de 1930. Surgiu também o monoquíni, peça única bem curta. Entre os homens, a Speedo ditava as regras, introduzindo a fibra sintética.

Mais ousadia nos anos 1960 – Wikipedia.

Anos 1960: As peças começavam a ficar cada vez mais curtas em relação às décadas anteriores. Foi também o momento em que o biquíni brasileiro começou a ganhar força nas praias de todo o País.

A atriz Rachel Welch com peça típica dos anos 1970 – Wikipedia.

Anos 1970 e 1980: As peças seguiam com mais precisão as tendências de moda e reforçaram a revolução no comportamento das pessoas que a década de 1960 propunha. Cada vez mais, os tamanhos ficaram menores. No Brasil, o fio dental ganha adeptas.

Peça brasileira da década de 1990 – Rosa Chá (reprodução).

Anos 1990: Explosão de tecnologia nos trajes, graças ao crescimento de grandes empresas, como a Nike, dentro do mercado. As peças seguiram um conceito mais sóbrio, com mais tecido cobrindo o corpo.

A modelo Heidi Klum com biquíni da Victoria’s Secret, em 2002 – Victoria’s Secret (reprodução).

Anos 2000: O “Brazilian bikini” ganha o mundo, com seu estilo mais ousado.

Coleção 2017 da Salinas.

Anos 2010: A tecnologia evolui e está cada vez mais incorporada às peças, com tecidos inteligentes. Praticamente todas as grandes marcas têm coleções especiais de trajes de banho.

Curtiu? Conte pra gente quais são suas peças favoritas e de quais marcas e estilistas você sonha em ter um biquíni ou maiô. E vamos aproveitar o verão!